| Perguntas e respostas

Use preservativo em todas as relações sexuais, inclusive durante o sexo oral e anal. O uso do preservativo é a forma mais eficaz de evitar não só o HIV, mas outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), como a sífilis, gonorreia e as hepatites B e C. Se o seu parceiro for HIV-positivo, estimule-o a iniciar e a se manter em tratamento. O tratamento antirretroviral diminui a quantidade de vírus (carga viral) no sangue e nos fluidos corporais, mantém o paciente saudável por muitos anos e reduz, de forma considerável, a chance de transmissão para os parceiros sexuais.

Os preservativos são gratuitos e podem ser retirados em qualquer serviço público de saúde. Se você tem dúvidas de onde fazer a retirada ligue no Disque Saúde (136).

Sexo vaginal, oral e anal sem o uso de preservativo; compartilhamento de seringa; transfusão de sangue contaminado; transmissão da mãe infectada para o filho durante a gravidez, no parto ou amamentação; reutilização de instrumentos que furem ou cortem sem esterilização.

Beijo no rosto ou na boca; masturbação a dois; suor e lágrimas; picada de inseto; aperto de mão ou abraço; compartilhamento de sabonetes, toalhas, lençóis, talheres, copos; assento de ônibus; uso de piscinas, banheiros; doação de sangue; pelo ar.

Sim, através da profilaxia pós-exposição (PEP), desde que iniciada em até três dias após o possível contato. Na PEP, o paciente recebe medicação por quatro semanas, mantendo o HIV “inibido” de se multiplicar e de causar infecção. A PEP deve ser usada somente em situações imediatas após possível exposição, como, por exemplo, ter praticado sexo sem camisinha, ter sofrido algum acidente com material perfurocortante contaminado ou, ainda, ter compartilhado seringas. É importante ressaltar que a PEP não substitui outros métodos de prevenção, como o uso do preservativo.

Se você passou por alguma situação de risco, faça o teste anti-hiv. Os testes são realizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O quanto antes você souber que tem o vírus, mais cedo você pode iniciar o tratamento e ganhar em qualidade de vida. Clique aqui para ver a lista dos Centros de Testagem e Aconselhamento em Santa Catarina. Nos centros, além da coleta de material para a realização do teste, há um processo de aconselhamento.

É o intervalo de tempo entre a infecção pelo HIV até a primeira detecção de anticorpos anti-HIV produzidos pelo sistema de defesa do organismo. A duração da janela imunológica, na maior parte dos casos, é de 30 dias. Isso quer dizer que, se um teste para detecção de anticorpos anti-HIV é feito neste período, há a possibilidade de gerar um resultado falso negativo, mesmo que a pessoa esteja infectada. Neste caso, recomenda-se que, caso continue havendo a suspeita de infecção, o teste seja repetido após 30 dias, com a coleta de nova amostra. Importante ressaltar que no período de janela imunológica, o HIV já pode ser transmitido.

Não. Ser HIV positivo não significa ter Aids. Aids é o estágio mais avançado da doença pelo HIV. O tratamento apropriado pode evitar o desenvolvimento da Aids.

Não. Seu teste revela somente o seu status sorológico. Pergunte ao seu parceiro(a) se ele(a) já fez teste de HIV e sobre seus comportamentos de risco, tanto agora como do passado. Considerar a testagem do casal é uma boa opção para prevenção de doenças e uma forma de respeito ao próximo.